Brasília: o Distrito Federal possui mais de três décadas de experiência em práticas integrativas | Foto: seier+seier/Creative Commons

O Sistema Único de Saúde (SUS) do Distrito Federal, no Brasil, disponibiliza gratuitamente Reiki e 13 outras modalidades complementares orientadas para o bem-estar e para a prevenção na saúde.

Práticas integrativas como o Reiki, Hatha Ioga, Automassagem, Lian Gong, Meditação, Shantala, Tai Chi Chuan, Arteterapia, Musicoterapia, Terapia Comunitária, Homeopatia, Fitoterapia, Acupuntura e Antroposofia são oferecidas aos utentes de 125 centros de saúde.

No caso do Ioga, Reiki, Automassagem, Lian Gong, Meditação, Shantala, Tai Chi Chuan, Arteterapia e Musicoterapia o acesso é livre, não exigindo registo no SUS. O Reiki é disponibilizado em consultas individuais e, em algumas regiões, ao domicílio.

“Não sabia que o SUS oferecia ioga e, quando conheci, fiquei admirada, porque é algo que funciona e está me fazendo muito bem”, conta Rosemary Loeffer, que descobriu as aulas gratuitas há dois meses e que acredita que é importante o sistema “dar prioridade à saúde, e não à doença”.

A iniciativa, ainda desconhecida para muitas pessoas encontra-se sob a tutela da Gerência de Práticas Integrativas (Gerpis), liderada por Valéria Frota. A responsável afirma que a medida “É um investimento barato, fácil e eficaz, como confirmam os relatos de utentes”, explicando que estas terapias ajudam a prevenir doenças e a reduzir dores, insónia, medicação em excesso e a minimizar os efeitos secundários de tratamentos agressivos.

As práticas integrativas estão presentes, atualmente, em 58% dos centros de saúde, sendo disponibilizadas por funcionários da Secretaria da Saúde do Brasil formados para o efeito, entre as 6h30 e as 18h15.

As 14 modalidades são também ensinadas em disciplinas facultativas dos cursos de Medicina e Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde de Brasília, de forma a sensibilizar os futuros profissionais de saúde para a importância destas práticas no domínio da saúde.

Conheça mais detalhes sobre esta medida na reportagem completa da revista Encontro Brasília. O que pensa sobre a integração de práticas complementares na saúde pública? Partilhe a sua opinião nos comentários.

Written by Reiki Studio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.