stones1

“Só por hoje” (Kyo dake wa, em japonês) é a instrução que precede os Gokai, os cinco princípios de Reiki. Mas porque é tão importante?

Os cinco princípios de Reiki são o primeiro ensinamento apresentado no Reiki Ryoho Hikkei, o manual da Usui Reiki Ryoho Gakkai, a associação original do Reiki de Mikao Usui.

O seu valor na prática de Reiki é amplamente reconhecido, sobretudo na sequência das descobertas feitas no Japão sobre o método de Usui e a sua história, mas a expressão que os precede, “só por hoje”, é fundamental para a correta interpretação e para a prática dos Gokai.

Tendo o Japão uma forte influência das tradições budista e xintoísta, a prática da atenção plena está imbuída na sua cultura. Ao Reiki, enquanto método de origem japonesa, é inerente a consciência da importância da mente vazia e da concentração no momento presente. No Japão, o Reiki é inclusivamente visto como um caminho para iluminação, ou satori.

No Ocidente, o valor desta filosofia para o bem-estar e para a saúde começa também a ser reconhecido. Os benefícios do mindfulness, ou atenção plena, estão cientificamente comprovados. A sua aplicação transcende o uso pessoal, sendo também praticado em empresas e escolas , por exemplo, para melhorar a produtividade, o bem-estar e a concentração, e reduzir o stress e a ansiedade.

A expressão mais emblemática da importância da atenção plena no Reiki é a frase “só por hoje”. Ela remete para a importância do momento presente, porque é nele que estão contidas todas as possibilidades de evolução e transformação. É por essa razão que ela antecede cada Gokai: porque agora é o momento de colocá-los colocá-los em prática.

“Só por hoje” convida o praticante de Reiki a comprometer-se com a sua própria evolução, com compaixão e consciência, a cada dia, um dia de cada vez, começando por hoje.

No Reiki, a filosofia e a prática complementam-se e apoiam-se mutuamente, por isso também na aplicação de Reiki a mente vazia está presente. O símbolo natural do Reiki é o bambu: ele representa a ausência de ego, a flexibilidade e, sendo oco, a mente vazia que possibilita a ligação pura e desimpedida à energia Reiki.

Numa entrevista dada à mestre de Reiki norte-americana Pamela Miles, os mestres de Reiki japoneses Hiroshi Doi e Hyakuten Inamoto reforçam o papel do praticante como canal de energia universal, sem ego e expectativas: “se fizer uso de alguma intenção, então imediatamente antes, ou quando colocamos as mãos, uns segundos de intenção está bem, mas depois rendam-se. (…) De certa forma, por pouco tempo, a intenção pode ser boa, como uma prece ou um desejo. Aí não há problema, não há ego aí. A partir desse momento, o resto fica entregue nas mãos capazes do Universo”.

No Ocidente, onde esta tradição não existe, torna-se particularmente pertinente a meditação Gasshō, que Mikao Usui ensinava aos seus alunos. Esta técnica desenvolve a atenção plena, esvazia, concentra e acalma a mente, promove a correta integração dos cinco princípios de Reiki e prepara o praticante para a aplicação de Reiki, ajudando também a fortalecer e a desenvolver a ligação à energia.

Costuma praticar a meditação Gasshō, a atenção plena e/ou os cinco princípios de Reiki? Que mudanças observou? Partilhe a sua experiência nos comentários.

“O essencial é saber ver, saber ver sem estar a pensar (…) mas isso exige uma aprendizagem de desaprender.” – Alberto Caeiro

 

Written by Reiki Studio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.