Pegadas na Areia: todos os Mestres conduzem a Mikao Usui | Foto: Dominik R Photography/Creative Commons

O Reiki é hoje praticado em todo o mundo através de diferentes sistemas, o que pode gerar alguma confusão quando primeiro se contacta com este método.

À medida que se aprofundam os conhecimentos acerca do Reiki, quer através de sessões terapêuticas ou da realização de cursos, surgem novas dúvidas.

Mas afinal, que tipo(s) de Reiki estou a praticar? Qual é a formação do meu terapeuta ou Mestre? Que diferenças existem entre este e outros sistemas?

Desde o desenvolvimento do Reiki por Mikao Usui, vários Mestres introduziram alterações ou novas práticas, dando origem a novos ramos de Reiki.

Um dos primeiros a divergir do Reiki de Usui terá sido Chujiro Hayashi, um dos seus alunos. Hayashi deu origem à sua própria metodologia, com alterações baseadas nos seus conhecimentos médicos.

Chujiro Hayashi viria depois a formar Hawayo Takata, que foi quem trouxe, pela primeira vez, o Reiki para o Ocidente.

A senhora Takata, por sua vez, adaptou alguma da informação sobre o Reiki à realidade Ocidental. Parte dos vinte e dois mestres formados por Takata, na sequência de divergências surgidas após a sua morte, deram por sua vez origem a outros ramos e organizações de Reiki.

Também no Japão, a fonte do Reiki, houve alterações.

No entanto, apesar da proliferação de diferentes sistemas, todos os ramos de Reiki válidos, criados por Mestres devidamente formados, partilham os mesmos princípios e práticas fundamentais.

A escolha do terapeuta ou Mestre mais indicado deverá ter como base a empatia, a preferência pelo método praticado e o conhecimento da formação, ou linhagem, do praticante.

O ensino no Reiki é feito por Mestres. Cada Mestre foi iniciado por outro e assim por diante, remontando até ao primeiro de todos, ou seja, Mikao Usui.

Ao conhecer os Mestres do seu terapeuta ou professor, ou seja, a sua linhagem, vai saber quais os ramos em que se formou e saber mais sobre a qualidade da sua formação.

Desta forma ficará também a saber se se trata de um profissional devidamente habilitado. Além da linhagem, todos os Mestres e terapeutas deverão ter acessíveis aos seus clientes e alunos os seus certificados de ensino.

Com esta simples pesquisa irá tornar-se num cliente ou aluno mais esclarecido e assegurará certamente uma boa experiência com o Reiki.

A implementação de boas práticas no Reiki por parte de alunos, clientes, terapeutas e Mestres, beneficiam o sistema como um todo e honram o percurso dos que os conduziram até esta experiência, no momento presente.

Written by Reiki Studio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.